Casa Areeiro – Local de acção e apoio aos astrónomos da madeira

Tendo em atenção que na Região Autónoma da Madeira não existe qualquer observatório astronómico, uma estrutura cuja necessidade é premente, de interesse regional mas também nacional e internacional, levou os elementos amadores da astronomia a procurar um local adequado para dinamizar as suas actividades mais importantes, se bem que alguns detenham equipamentos em suas próprias casas onde as realizam.

A qualidade dos céus da Madeira é tão evidente e já começa a ser reconhecida a nível internacional que causa espanto a inexistência de um telescópio de grande dimensão na Região. Para atenuar essa omissão os amadores tomaram iniciativas próprias tendentes a alcançar os seus objectivos mínimos que seria adquirir uma cúpula e respectivo telescópio para astrofotografia. Na verdade a isso temos ainda que acrescentar que as zonas mais baixas, por sofrerem de elevado índice de poluição luminosa, aliadas à intensa nebulosidade durante o ano, muitas vezes os astrónomos não dispõem dos requisitos idóneos para realizar observações dos astros e captação de imagens com qualidade.

Contactou-se as entidades oficiais regionais para as sensibilizar quanto a este projecto. Enquanto os objectivos não se cumprem na íntegra, procurou-se e conseguiu-se, através de um protocolo de trabalho, que a Câmara Municipal du Funchal autorizasse a utilização da Casa do Areeiro, localizada no Chão do Areeiro, um local que reúne os requisitos mínimos para os propósitos dos astrónomos amadores.  O caminho tem sido difícil mas lentamente temos vindo a ganhar não só adeptos para a nossa causa – um deles é a Câmara Municipal do Funchaçl – como também a avançar no nosso projecto, adquirindo valências importantes mas que ainda consideramos muito insuficientes.

Mas somos optimistas porque realizar actividades próprias para os astrónomos, receber visitantes e público, realizar a astronomia de verão e captar imagens com condições adequadas, esta conquista acaba de ser conseguida, graças à autarquia do Funchal.

Caniço, 29 de Junho de 2017

A Direcção da AAAM